terça-feira, 12 de agosto de 2008

Indomável

Começa sempre nas preliminares, não é novidade para ninguém!
Não vou mais perder tempo com aquela parte em que ele fez caminho de mãos sobre os meus pés, numa escalada toda feita de arrepios e ais promissores acompanhada de uis inspirados.
Mas o que me trouxe aqui foi a questão do auto-domínio.
Cortesia, integridade, perseverança, auto domínio e espírito indomável - foi assim que ele disse.

O meu, bem coordenado com o auto domínio, deu aquele resultado que foi a longa insônia dos vizinhos.

Um comentário:

alvaro disse...

Dominado(a) e dominante? Éis a questão? Quem é quem? Quem se permite mais?? Qual dos dois
consegue sentir mais prazer?
Aquele que manda, se deleita por
estar na posição de quem dá as ordens, de quem se impõe e recebe sem nada doar, é o supremo, o mestre o que provoca, aquele que sai a caça e quando captura a sua presa, depois de maltrata-la, a domina e satizfaz todos os seus desejos sádicos. Mas se engana quem pensa que o dominado é um sofredo, um coitadinho... muito pelo contrário, o dominado se deleita quando o dominador se satizfaz dos seus ímpetos sádicos.

Dizem que o verdadeiro sádico é aquele que quando o dominado pede para ser açoitado, ele nega. Que maldade, que maldade.
Mas a questão persiste, quem sente mais prazer, o dominado ou o dominante??
Então, Amando e proseando, já estivestes em alguma dessas situações, qual delas é a mais prazerosa??

Alvaro de Campos